terça-feira, 1 de setembro de 2009

“Não se nasce mulher, se faz mulher”*


Nós, mulheres, precisamos urgentemente combater e repelir o machismo racista-social que há sobre nós. Ler o texto “A pobreza tem rosto de mulher”, de Cecília Toledo, reafirmou em mim a importância da conquista dessa alforria. Lembremo-nos da civilização chinesa na qual mulheres tinham os pés enfaixados (muitas vezes estes eram quebrados) por que “os pés pequenos são mais formosos”; para alguns muçulmanos, as mulheres precisam cobrir-se da cabeça aos pés para não instigar o homem ao erro; e em outras tantas civilizações (inclusive na nossa) a mulher é sinônimo de inferioridade, ser diabólico, uma partícula fraca e suja da sociedade, havendo pesquisas que evidenciam em que lugar fica a mulher negra na sociedade: Homem Branco – Mulher Branca – Homem Negro – Mulher Negra. Em quarto e último lugar!!!
Negras, Brancas, não importa. Mulheres: somos mais que propagandas de cervejas, mais que um sexo frágil, mais que seio-bunda-sexo. Somos donas das gerações, somos fortes, “nossos ombros suportam o mundo”**!!!
Naionara Maia Souza
*Simone Beuvoir
**Carlos Drummond de Andrade

2 comentários:

Gal 1 de setembro de 2009 22:52  
Este comentário foi removido pelo autor.
Gal 1 de setembro de 2009 22:56  

Precisamos fazer esta leitura do Machismo, que ele existe em várias vertentes...e a opressão sobre a mulher pode acontecer de várias formas...
Machismo-racista social, é interessante pensar nisto...Vale ressaltar que a mulher, negra e pobre parece ser ainda mais, vítima do machismo que ainda faz parte desta sociedade patriarcal e elitista
Bom texto!

  ©Template by Dicas Blogger.